Tomada de três pinos e urna eletrônica: as novas “inimigas do governo”

Pouco depois de anunciar o fim do horário de verão, o governo de Jair Bolsonaro destacou seus próximos alvos: a tomada de três pinos e a urna eletrônica.

A informação é de Filipe Garcia Martins, assessor especial da Presidência da República para assuntos internacionais.

“Depois de nos livrarmos do horário de verão, temos que nos livrar da tomada de três pinos, das urnas eletrônicas inauditávris e do acordo ortográfico”, informou o assessor em um post no Twitter.

Relembre

Instituída no governo de Dilma Rousseff em 2011, a tomada de três pinos se tornou uma exigência neste ano, mas já existia desde 2000.

Segundo o Inmetro, o padrão é mais seguro e tem como objetivo padronizar e unificar os mais de 10 tipos existentes até então no país. Na época, a medida gerou críticas de muita gente.

O acordo ortográfico, assinado em 1990, foi adotado oficialmente no governo de Lula, e também tinha como objetivo unificar a escrita em países que falam a língua portuguesa.

Urnas
Severamente criticadas por Bolsonaro, as urnas eletrônicas foram adotadas no país inteiro em 2000.

Fonte.: Yahoo Finanças

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.