Página Inicial / Aconteceu/ Ultima hora / O que pode causar coceira e descamação no couro cabeludo?

O que pode causar coceira e descamação no couro cabeludo?

Por Mona Gohara, M.D

Ninguém gosta de ver aquelas casquinhas brancas sobre os nossos casacos, mas a caspa é apenas uma de muitas condições do couro cabeludo que podem atrapalhar a sua rotina.

Felizmente, a medicina moderna tem a resposta para manter seu a pele bonita e saudável.

A seguir, entenda o que pode estar causando coceira e descamação na sua cabeça – e não deixe de consultar um dermatologista se estiver preocupado.

Psoríase

A aparência: placas rosadas com descamação prateada

A causa: Esta condição afeta entre 1 e 2% da população e qualquer um pode desenvolvê-la, independentemente da idade. Acredita-se que seja uma doença autoimune na qual as células da camada superior da pele são produzidas exageradamente, e se manifestam por meio de erupções cutâneas rosadas com uma descamação prateada.

A psoríase pode afetar qualquer parte do corpo, da cabeça aos dedos dos pés (incluindo as unhas), mas a que ocorre no couro cabeludo é uma das mais difíceis de tratar, de acordo com o Dr. Seemal Desai, professor do Departamento de Dermatologia do Centro Médico Southwestern da Universidade do Texas.

Por quê? O acúmulo de células da pele provoca uma descamação que pode coçar, doer, criar crostas e sangrar. Além disso, os traumas sofridos pelo couro cabeludo (como o uso de secador e tinta para cobrir os fios brancos) podem piorar a situação.

O tratamento: O objetivo é aliviar os sintomas, disse o Dr. Desai. A maioria dos médicos começa receitando esteroides, embora situações mais complicadas possam exigir injeções que ajudam a suprimir o que está causando os surtos.

O seu dermatologista também pode sugerir o excimer laser, que age em pontos específicos que não estão respondendo a outros tipos de tratamento.

O Dr. Desai destaca que também é importante avaliar sua rotina de cuidados com o cabelo. Não aplicar xampu todos os dias ajuda a diminuir o problema, e um creme à base de óleos terapêuticos também pode fazer maravilhas.

Foliculite

A aparência: protuberâncias com pus, espalhadas pela cabeça

A causa: A foliculite é basicamente a inflamação do folículo capilar, causada por uma bactéria (o mais comum é que seja uma infecção estafilocócica), ou pela irritação decorrente do uso de lâminas para raspar o couro cabeludo, condicionadores pesados, tintas potentes e suor excessivo.

Ela costuma se manifestar por meio de pequenas protuberâncias de pus espalhadas pelo couro cabeludo, que lembram a acne. Elas também podem ser doloridas.

O tratamento: Se houver suspeita de foliculite, o médico pedirá um exame de cultura para investigar a presença de bactérias.

Se os problemas no couro cabeludo forem microbianos, o uso de antibiótico tópico ou oral será a melhor opção de tratamento.

“Se não houver um agente infeccioso presente, medicamentos anti-inflamatórios, como cremes com esteroides, podem ser eficazes,” diz a Dra.

Christine Ko, professora de Dermatologia e Patologia na Escolha de Medicina de Yale.

Dermatite seborreica

A aparência: descamação oleosa e caspa

A causa: A dermatite seborreica é uma das condições mais comuns do couro cabeludo. A crosta láctea em bebês se transforma em vermelhidão, coceira, descamação oleosa e caspa nos adultos. Não é contagiosa, mas pode ser constrangedora.

Infelizmente, ela costuma ir e vir com gatilhos como o estresse e mudanças climáticas, sendo mais intensa no inverno e no início da primavera. Rosto, orelhas e peito também podem ser afetados.

Embora não tenha sido identificada uma causada específica, um fungo chamado malassezia, presente na secreção oleosa da pele, parece ser o culpado.

Alguns fatores que aumentam a predisposição incluem o mal de Parkinson, depressão, diabetes, sistema imunológico enfraquecido e obesidade.

O tratamento: O Dr. Desai recomenda tratar a dermatite seborreica de forma precoce e radical para evitar complicações como a queda de cabelo. Um xampu antifúngico fortalecedor com cetoconazol costuma dar bons resultados. Se as escamas continuarem caindo, pode ser preciso usar um esteroide tópico.

Alopecia

A aparência: queda de cabelo

A causa: “A queda de cabelo pode ser causada por diferentes fatores, incluindo a genética, o uso de medicamentos, inflamação, desequilíbrios hormonais e fragilidade dos fios,” diz Ko. Independentemente da causa, isso é muito estressante.

Se você notar que seu cabelo está caindo ou identificar falhas no couro cabeludo, é importante ser avaliado por um dermatologista imediatamente, que pedirá exame de sangue para investigar a possibilidade de anemia, deficiências nutricionais, anomalias na tireoide, níveis hormonais e marcadores autoimunes.

Se os exames de sangue não descobrirem nada, outras fontes de estresse, como a morte de uma pessoa querida, uma cirurgia, ou um acidente de carro, podem provocar uma queda intensa, meses após a sua ocorrência. A idade também pode influir.

Conforme os níveis de estrogênio caem entre os anos de maior fertilidade e a menopausa, o cabelo também cai. Anos de luzes, tintas, alisamentos, permanentes e penteados que torcem e apertam os fios também prejudicam. A questão da queda de cabelo é complexa e precisa ser analisada por um profissional.

O tratamento: Seu médico pedirá um exame físico completo, para que qualquer problema médico detectado possa ser tratado. Doenças de pele que acometem o couro cabeludo, como a dermatite seborreica e a psoríase, devem ser tratadas.

Em casos de desgaste hormonal, há tratamentos como o Rogaine, uma solução de fortalece os fios existentes, e a espironolactona, que ajuda a bloquear hormônios conhecidos como andrógenos.

Manter uma dieta balanceada rica em vitaminas como a B12, folato e biotina também é importante, caso você tenha queda de cabelo. Por último, vale a pena fazer uma pausa no uso do secador e deixar seus cabelos mais naturais. Em casos extremos, o transplante de cabelo é uma opção eficaz.

Cistos

A aparência: bolsas cheias de fluidos

A causa: Assim como acontece em qualquer outro órgão, os cistos podem ocorrer na pele. A boa notícia é que os cistos do couro cabeludo são comuns e fáceis de identificar.
 
Geralmente são pequenas bolsas do tamanho de uma uva ou bolinha de gude que você sente quando o pente ou escova passa por cima delas.
 
Na maioria dos casos, estes cistos são genéticos, benignos, sem motivos para preocupação. Dito isso, em algumas situações eles podem ficar infectados ou irritados, provocando dor, com secreção.
 
O tratamento: Não faça nada e deixe-os lá, ou consulte um médico especialista para removê-los cirurgicamente.

Dermatofitose do couro cabeludo

A aparência: descamação e áreas com falhasA causa: Também chamada de tinha do couro cabeludo, trata-se de uma infecção fúngica que costuma ocorrer em crianças pequenas, mas também pode surgir em adultos.
 
De acordo com a Mayo Clinic, há algumas maneiras de contrair o fungo: transmissão de pessoa para pessoa, de animal para ser humano (os gatos são uma fonte comum), e de objeto para ser humano (roupas, toalhas, roupa de cama, pentes e escovas).
 
As erupções cutâneas decorrentes da infecção costumam ser dolorosas e escamosas, e podem até causar inchaço nos gânglios linfáticos.
 
Elas também provocam falhas, fios quebradiços e pontos pretos.
 
O tratamento: Tomar um medicamento antifúngico é uma boa escolha. Tratar ou descartar fontes de infecção pode ajudar a prevenir a reincidência. Dermatite de contato A aparência: vermelhidão e coceira

A causa: O p-Fenilenodiamina (PPD) é um composto amplamente usado como tinta permanente para os cabelos, mas tem um impacto muito negativo na pele.

Também é uma das causas mais comuns de dermatite de contato no couro cabeludo, seguido pelas substâncias químicas e fragrâncias presentes em xampus e condicionadores em segundo lugar.

A dermatite de contato causa coceira e desconforto extremos. Felizmente costuma ser fácil identificar a causa, devido ao curto espaço de tempo entre o contato com a substância química e o surgimento da alergia.

O tratamento: Identificar a causa e eliminá-la são os dois passos mais importantes no tratamento da dermatite de contato. Usar uma solução tópica com esteroides, como um gel, espuma, creme ou pomada, por duas ou três semanas ajudará a reduzir a inflamação e aliviar o incômodo.

Fonte.: Yahoo Vida e Estilo

Sobre admin

Veja também

Daniel Alves marca, mas PSG leva virada do Nantes e tem título adiado outra vez

Pela terceira vez, equipe de Paris tem a chance de ser campeã com apenas uma …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *