Megatraficante de armas da Capital é preso no Rio de JaneiroEle já sido alvo de operação da PF, na qual foi preso Breno Solon Borges

Tiago Vinícius Vieira, chefe de quadrilha de traficantes de armas ligada à organização criminosa que atua dentro e fora dos presídios e que estava forarigo desde maio, quando fugiu da Penitenciária Máxima de Campo Grande com ajuda de um policial militar, foi preso no fim da tarde de ontem (11), no Rio de Janeiro.

O megatraficante é velho conhecido da polícia de Mato Grosso do Sul. No ano passado, ele já planejava fugir, mas operação Cerberus, da Polícia Federal impediu um plano. A ação envolveu Breno Fernando Solon Borges, de 37 anos, filho da desembargadora afastada Tânia Garcia de Freitas Borges. Conforme a polícia descobriu na época, a quadrilha planejava resgatar Tiago durante escolta para consulta médica.

Ontem, o megatraficante foi preso em cumprimento de mandado de prisão, na cidade do Rio de Janeiro. Recentemente, ele foi condenado a mais 14 anos de prisão por organização criminosa e lavagem de dinheiro, na ação resultante da operação da Polícia Federal. Nesta mesma ação, Breno Solon Borges foi condenado a mais de 9 anos de prisão.

Conforme informações da PF, a princípio, Tiago estaria no Rio de Janeiro usando documentos falsos. Ele recebia apoio de integrantes de sua organização criminosa, tanto para escondê-lo como no auxílio para negociações envolvendo venda de armas e munições na cidade.

Durante o cumprimento do mandado de busca e apreensão, policiais encontraram e apreenderam várias “balinhas” de ecstasy, correntes e relógios de ouro, celulares importados e veículos em nome de terceiros. Os produtos seriam fruto das atividades ilícitas praticadas pela quadrilha.

Tiago foi encaminhado para a Superintendência da Polícia Federal do Rio de Janeiro, onde foi autuado em flagrante por tráfico de drogas. De lá, ele foi levado para a o Presídio de Benfica, onde é feita a triagem de presos para o Sistema Penitenciário Carioca.

FICHA EXTENSA

No ano passado,Tiago Vinícius Vieira ele já planejava, mas o plano foi descoberto e impedido. Segundo informou a PF na época, a ação seria violenta, portanto, haveria morte de agentes penitenciários. Ainda segundo investigações, Breno Borges era o mentor dessa associação e responsável pela tomada das principais decisões.

Na casa da namorada de Tiago, foram encontradas uma pistola, munições e R$ 8 mil. Dinheiro que, segundo a Polícia Federal, seria usado durante o resgate do preso. As investigações começaram em março, quando o líder da organização criminosa planejou tentativa de fuga da Penitenciária de Três Lagoas, com uso de uma pistola calibre .380.

Após esta primeira tentativa, o presidiário foi transferido para a Penitenciária de Segurança Máxima da Capital. Ele, então, passou a contar com o apoio de sua namorada e outros três comparsas para contrabandear armas de fogo, além de planejar nova tentativa de fuga e possível assassinato de agentes penitenciários.

Antes disso, em 2010, Tiago foi preso depois de participar de um assalto ao shopping Norte Sul Plaza, em que foram roubados R$ 3,8 mil em dinheiro, além de diversas peças de joias. O roubo ocorreu no mês de maio e movimentou a polícia local. Mas, foi um plano frustrado, pois alguns dos envolvidos acabaram presos horas após o crime.

Na época, a polícia classificou o grupo, do qual Tiago era membro, como uma quadrilha especializada em grandes assaltos, pois a ação havia sido planejada com um mês de antecedência e buscava vários alvos na Capital.

No dia 19 de maio deste ano, ele fugiu da Penitenciária de Segurança Máxima da Capital. Acompanhado de outros quatro detentos, eles serraram as grades da cela e pularam a muralha do presídio com auxílio de uma escada improvisada, feita de tecidos. Todos os outros foram recapturados, menos Tiago. Um policial militar foi afastado sob suspeita de ajudar 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.