Engenheiros que atestaram segurança de barragem que rompeu são presos em SP

O Ministério Público de São Paulo e a Polícia Civil do estado cumpriram na manhã desta terça-feira (29) dois mandados de prisão contra engenheiros que atestaram a segurança da barragem que se rompeu em Brumadinho (MG) na última sexta-feira. Os mandados foram expedidos pela Justiça Estadual de Minas Gerais no domingo.

Os engenheiros foram identificados como Makoto Namba e André Yassuda. Em Minas, foram cumpridos outros três mandados de prisão também contra engenheiros que trabalhavam para prestadoras de serviço. Os mandados são de prisão temporária, com validade de até 30 dias.

Por meio de nota, a Vale disse estar “colaborando plenamente com as autoridades”. “A Vale permanecerá contribuindo com as investigações para a apuração dos fatos, juntamente com o apoio incondicional às famílias atingidas”, diz o texto.

Toda a operação é coordenada por policiais, promotores e procuradores de Minas Gerais. A força-tarefa envolve, além do Ministério Público Estadual e Federal, as polícias civil e federal.

Em São Paulo, a ação é coordenada por promotores do núcleo da capital do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do MP-SP, e pelo Departamento de Capturas (Decade) da Polícia Civil.

Até a noite da última segunda-feira, a Defesa Civil de Minas Gerais informou que há 65 mortos e 279 desaparecidos decorrentes da tragédia.

Suspeita de fraude

Ainda na capital paulista, a Polícia Federal cumpre outros dois mandados de busca e apreensão em empresas que prestaram serviços para a Vale, responsável pela barragem.

As empresas ainda não tiveram o nome divulgado, mas a investigação apura se documentos que atestavam a segurança da barragem foram fraudados.

(Com informações do portal G1)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.