Ao lado de Bolsonaro, Macri diz que Maduro é ditador que quer se perpetuar no poder

BRASÍLIA, DF FOLHAPRESS) – Na primeira visita de um chefe de Estado ao Brasil desde que Jair Bolsonaro assumiu a Presidência, ele e seu contraparte argentino, Maurício Macri, fizeram discursos de repúdio à ditadura de Nicolás Maduro na Venezuela.

Macri disse que ele e Bolsonaro compartilham da preocupação com os venezuelanos e ambos reconhecem a Assembleia Nacional como o “único poder legítimo eleito democraticamente” por vontade popular.

“Não aceitamos ditadura na democracia. E muito menos a tentativa de quem quer ser a vítima e, na verdade, é o algoz. A comunidade internacional já se deu conta de que Maduro é um ditador que busca perpetuar-se no poder com eleições fictícias prendendo os opositores e levando a Venezuela a uma situação desesperadora e agoniante”, disse em breve comunicado à imprensa ao fim do encontro com Bolsonaro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.